Últimas reflexões

sobre o universo da logística

A importância do fracionamento de medicamento flexível

A importância do fracionamento de medicamento flexível

Em meu primeiro texto do ano, falei sobre como eu imagino o nosso mercado em 2019, e fui muito enfático quando disse que a personalização ou que a segmentação iria prevalecer e que nós, operadores logísticos, deveríamos estar preparados para sermos agentes articuladores desse processo. E, pensando em como tangibilizar essa atuação, eu cheguei em uma reflexão interessante, que é a de como devemos ter um trabalho de fracionamento que seja flexível de acordo com a necessidade do cliente.

E para isso acontecer, tanto o picking, quanto o packing precisam ser feitos de uma maneira muito ágil, inclusive quebrando alguns paradigmas do mercado, como por exemplo a atuação por “ondas”, onde existem apenas períodos específicos para que o trabalho seja feito e o produto saia para a entrega. Eu defendo que essa operacionalização deva ser feita para dar a melhor experiência ao receptor do produto, claro, dadas as devidas proporções e particularidades de cada segmento e modelos de acordo.

Aqui na Temp Log já temos isso muito bem estruturado e atuando de maneira ágil, mas, não é fácil. É preciso ter um processo extremamente organizado, que passa por um armazenamento com 100% de acuracidade nos inventários, um time capacitado para exercer a função, que entende o quanto seu papel é importante e sinergia com a equipe de transporte. Ou seja, o sucesso passa por todo o processo sendo bem executado.

E, falando de sucesso eu digo mais, ele depende do total alinhamento entre o operador logístico e a empresa que ele representa, que deve ter noção que um trabalho como esse requer um grande esforço de investimento e capacitação, portanto, deve ser valorizado comercialmente e ter, também, um grau de atenção maior quando falamos de alinhamento de expectativa desde a passagem do briefing.

Portanto, eu quero deixar dois questionamentos. Um para quem é operador logístico e outro para quem nos contrata.

1 – Você, operador, está preparado para realmente prestar um serviço que exige um serviço tão personalizado?

2 – Você, que nos contrata, está preparado para valorizar esse serviço e realmente se dedicar para que o fim do processo seja uma experiência única para o cliente final?

Deixe seu comentário ou mande uma mensagem, gostaria, realmente de continuar essa conversa em um outro momento. Afinal, estamos falando da construção de um momento presente que será determinante para o futuro da atuação logística.

 

transporte de medicamentosmarketing logistico